É tudo uma cambada de gatunos,

uma cambada de ladrões

e uma cambada de chupistas!
(MANEL, decide: ou o jogo ou eu!)


Sempre tive mais sorte no jogo que no amor.
E a razão é simples: é muito mais fácil me dirigir a um café com a chave do Euromilhões. Raramente jogo mas, em regra geral, acerto sempre entre um a três números da aposta.

Meu pai costuma dizer: ser abençoado pelo prémio é como o cair de uma gota numa zona específica do imenso oceano. Difícil, único, quase impossível. E não vale a pena sonhar muito com isso.

Mas, como tudo, há sempre alguém que consegue concretizar o sonho.
É o caso de um casal jovem que se vê a braços cruzados com o tribunal.
A garota diz que o dinheiro lhe pertence por inteiro. O moço luta pela repartição da massa.
Ela fez a aposta. Ele pagou-a.
Agora, separados, não conseguem chegar a consenso.


Eis o que eu faria: ou jogava ou namorava.
É uma questão simpes, não se pode confiar nas mulheres.
(Ok, pelo menos nesta não)
Diria:
'Maria, é o seguinte: na próxima semana não te quero cá em casa. Vou jogar.'
E o assunto ficava resolvido. A Maria saia e o Manel jogava.
Se a mulher ripostasse:
'MANEL, decide: ou o jogo ou eu!', das duas uma:
ou se ganhava o prémio e se perdia a mulher
ou se perdia o prémio e a mulher.


Ou se desistia do jogo, vivendo-se perturbado eternamente, pensando como seria a vida se se tivesse jogado.


Até mais ver.

OT

ps: visitem o blog do otário do meu pai: http://blogdozelio.blogspot.com
e deixem um comentário simpático para ele ficar contente e tal!
É deveras interessante, vê-se que aprendeu com o filho... tanto talento... upa upa!

Comentários

Cris Animal disse…
È....dependendo da mulher não vale à pena, mesmo! Assim como, dependendo do homem....rs

beijo
............Cris Animal
Otário disse…
sim. e neste acordos é complicado...
izzie disse…
Bem... até que concordo... joguem separados... não são dois Euros que empobrecem ninguém...
Eu só não admitia ser tratada por Maria... aí sim ficava lhe com o prémio todo, todinho... por danos morais causados...

Beijo,
Otário disse…
sim, joguem separados! tanto amor que acabou andando às turras.

Quando ao nome, 'Maria', é um nome modelo que pode caracterizar qualquer pessoa. Utilizo-o quando me refiro a personagens femeninas. Para masculinas utilizo 'Manel'. Simples... não me deu muita vontade de pensar :)

Mas és anti-Marias? :)
Ritinha disse…
concordo ctg.... mas na minha opiniao é nos homens k nao se deve confiar :)

Beijinho

P.S.: esses k foram a tribunal podiam ser mais inteligentes e simplesmente dividir o dinheiro... olhem o k a ganancia faz!!!
Nuno disse…
EH pá, oh otário eu sei que nem visito o teu canto muitas vezes nem nada que se pareça, mas até gosto de cá passar de vez em quando. o problema é que nunca comento e só passo uma vez por mês... Eu sou um leitor pouco assíduo, tens de me desculpar, mas o tempo também é menos que pouco...
Otário disse…
ritinha: ah... os homens são tão boas pessoas... :) seja como for, esta mulher estragou tudo. a ganância é um pecado! E ela não merece todo o prémio.

Nuno: claro, nuno. Eu só li a publicação do teu blog e apetecia-me comentar, fiquei sem saber o que colocar. Eu entendo, não há problema algum. Aliás, o mesmo se passa comigo perante o teu espaço. Muitas vezes não tenho tempo para deixar um comentário, nem ler as rubricas no seu todo, mas vou passando por lá. ;)
F. disse…
Sr. Otário:

As únicas pessoas que têm de compreender "Pedro procura Inês" são o Pedro e a Inês!

De qualquer modo, muito lhe agradeço o interesse.

Saudações Inesianas
tossan disse…
Eu tenho azar nos dois! O que faço?! Abraço
Otário disse…
Pedes ao Pai Natal um pouco mais de sorte no Natal ;)

Ho, que lindos textos, que poético, que lindo!