06/01/10

O meu pai...

... é uma daquelas pessoas que, para entrar em casa, tira as chaves do bolso e toca à campainha. E isso enerva-me. E estou eu, por vezes, ouvindo o tilintar das chaves, para lá da porta, prevendo a sua chegada, e ele toca à campainha. Estou eu em casa sozinho, descansando ou fazendo as minhas necessidades, quando ele vem com as chaves na mão e toca à campainha.

E a minha mãe é outra coisa; chega das compras estafada e, em vez de bater à porta, grita 'FILHO, ABRE A PORTA' e, para cúmulo, acrescenta 'É A MÃE!', como se eu tivesse um índice de inteligência tão baixo que não fosse capaz de associar a palavra filho à minha mãe. E todo o prédio sabe que ela chegou.

Por outro lado, é caso para referir que
deste modo, não se gastará dinheiro em chaves.
Pois, não sendo utilizadas, dificilmente se partirão.
E é um pequeno grande passo no combate à crise económica.