Testemunhando

Vi o filme Efeito Borboleta, e concluí que, o final, até deverá fazer bastante sentido. Se há pessoas sem alma? Não sei. Se a alma, efectivamente, existe? Não faço a mínima ideia. O que é a alma? Não sei responder. Mas certos corpos não deveriam existir, pois provocam o caos, mesmo sem presumivelmente notarem. É o mínimo múltiplo comum. Nós não existimos. A vida é que nos faz. Por isso os remendos provocam cicatrizes.

Comentários

guida disse…
Para mim foi confuso no inicio. O que mais destacou e fez mais sentido foi a atitude altruísta por parte do personagem: ele não queria que as pessoas que o rodeavam tivessem um destino "pobre".
Ritinha disse…
ainda tenho que ver esse filme!
C disse…
O filme é mesmo altamente!
De nada ;)
Achei o selo ideal para ti!
E deveras engraçada a sua :D.
Lídia Amorim disse…
eu vi esse filme e gostei bastante. Foi sem dúvida um dos filmes que me marcou para sempre. :)
Raquel disse…
Esse filme é bastante complexo. Mas gosto da ideia geral.
:)
Otário disse…
ganda filme, correctíssimo.
pesquisei há dois dias
atrás e descobri que
foram lançados outros
dois filmes, o 2º e o 3º,
este último o ano passado,
do efeito borboleta, embora
não alcançando o sucesso
do brilhante primeiro.

Ho, que lindos textos, que poético, que lindo!