'tão Fina, que se finou

Margarida sofria de complexo de complexidade: sempre que mentia, suponha dizer a verdade, sempre que pensava estar descendo, na verdade, subia a rua, e quando se arranjava, para sair, saia ela toda nua. Numa ordem do contrário, em todo o sentimento primário, actuando por meio de opostos, tomavam-lhe desconhecidos gostos. Não notava, se distraia, sem saber o que fazia, sem saber o que era feito: julgava ser solteira, mas namorava qualquer sujeito.

De tal modo que uma tarde, comeu que nem um alarve, coitada da Margarida, contado ninguém acredita: meteu o garfo na boca, lambeu a faca e o prato, não deixou nenhum bocado, tal foi grande o seu cuidado, numa carrada de vezes, tendo o seu corpo tombado, de já não aguentar. Na verdade, enquanto ingeria, julgava estar expelindo, enquanto a comida entrava, julgava estar saindo, e foi tal a fartura, que se enfartou, não vive mais, já se finou.

Morreu, tá morta, sucumbiu-se, a Margarida murchou. Pensando ainda estar viva, mas a Morte já a levou.

Comentários

Lala disse…
olha c'um catano! e eu que não percebo nada destas coisas de ser e não-ser ao contrário e assim... gostei. mas de um gostar que não é ao contrário. só gostei.

Bela participação!
Bartolomeu disse…
Engraçada a tua nota! ;)
catherine disse…
Cum catano! Não me ocorre dizer mais nada! :)
MM disse…
Bem que podias ter arranjado outro nome!

lol
Otário disse…
ahah

por acaso, aquando a publicação,
lembrei-me do Câmara Lenta...
MM disse…
Ainda bem que foi só do CL e não foi de mim!

xD
Otário disse…
oh, a s'o dona
administradora
surgiu-me ao
pensamento.
posteriormente.
MM disse…
Pronto!

Melhor agora!
meldevespas disse…
ó Otário, isto está mesmo muito bom!
Espectáculo!
Bêjo
Otário disse…
bejo!
com chapéu.
porque está sol.
bem visto...
guida disse…
Estou com a MM...
Eduardina disse…
Aagradou-me a (des)construção e o humor tão bem conseguido deste texto.Diverti-me a sério!
Ritinha disse…
Ai que a Margarida era uma tola. Morreu de fartura ou de aborto mal feito? LOL
meldevespas disse…
Com chapeu porque tá sol, e com chapeu porque é um bêjo com sotaque alentejano...
Otário disse…
guidA, temos pena! ;)

Eduardina, obrigado,
fico contente! E belo
nome o seu, a sério! gosto.

Ritinha, acho que ela fez
CAPUM! PUM! TUNTUNTUTNUTNUT!

meldesvespas, ah, tá certo... hah
Poetic GIRL disse…
Um texto cheio de humor e melodia, gostei! Coitada da moça que se finou! bjs
Natália Augusto disse…
E se realmente o nosso real comezinho fosse AO CONTRÁRIO? Tudo ao realmente ao contrário? Haveria fartura em vez de fome; paz em vez de guerra; políticos honestos em vez de corruptos; igualdade de direitos e oportunidades para todos? Seria bom, seria!!!

Gostei da tua Margarida e da sorte que lhe coube. Assim nem se apercebeu da morte.


:))
Otário disse…
Natália, pois... mal se houver vida lá em cima, ou nos lados, ou em baixo, depois da morte, resuma-se... aí ela aperceber-se-ia, presumivelmente...

poetic girl, obrigado!
Chica disse…
Criatividade e bom humor dão o toque por aqui!abraços,tudo de bom,chica
Sandra disse…
Parabéns pelo tema livre. Escrever nos inspira a voar pela imagnação.
Amo escrever. Por isso meu tema é Vida de Poeta.
Interação de amigos também está participando. Vou te esperar por lá.
http://sandrarandrade7.blogspot.com
este é um momento onde todos trocam experiências.As coletivas aproximam as pessoas.
Carinhosamente,
Sandra
Miss B disse…
são fantasticas as coisas k fico a saber cada vez k ca venho...realmente fico viciada nisto
Otário disse…
boa semana
pessoas!!!

que a otarice esteja
convosco!
carpe vitam! disse…
Muito bom, adorei! e da musiquinha também :) Estive a ler o texto introdutório todo e deixa-me que te diga que para preguiçoso aldrabão, até me pareces bastante sincero e fazedor de coisas e isso de haver pessoas que gostam de ti que não o dizem é bem possível, mas como não quero ser uma delas, deixa-me só dizer que gosto mesmo de ti!
Otário disse…
ahah um elogio!
danke very muchas!
Brown Eyes disse…
Dizia eu, esta porcaria deu erro, que fiquei confusa com a complexidade da Marga-rida e com muita pena dela. Coitada!
Beijinhos
Ricardo Fabião disse…
muito bem construído teu texto; essa 'ordem do contrário' é um delicioso tempero à narrativa.

Gostei muito.

Abraço.
Ricardo

Ho, que lindos textos, que poético, que lindo!