24/08/11

Divagações 14: Violões Violam Violinos

O estado deste mundo faz-me lembrar aquela história do homem que vai ao médico porque lhe dói a cabeça e o braço e a perna e afinal tem é o dedo partido. O jovem anda desiludido com a vida e pronto, vai pilhar uma loja. Como se a loja lhe tivesse dado um estalo e ele retaliasse... de facto as lojas são muito vaidosas, com aqueles profissionalismos e pandan's, mas daí a partir-lhes a cara vai um grande passo. O Pedro Proença que o diga. Mais 4 dentes a menos e já poderá fazer uma pulseira. O Homem é um animal que precisa de se reinventar... os transsexuais que o digam, certo? Uma vez tomei conhecimento de uma história que era o seguinte: 1 casal heterossexual apaixonado - o membro masculino quis mudar de sexo porque se sentia uma mulher, cito, desde pequenino. E fê-lo. O membro feminino, por seu lado, optou pelo mesmo caminho, decidiu recorrer à operação de mudança de sexo. O homem virou mulher, a mulher virou homem. E, com todo o respeito, aquela mudança deixou-me mais mal-disposto que comer 7 pães com Peanut Butter mais 2 fatias de melancia e amendoins com Coca-Cola - o que, confesso, por vezes acontece. O que também acontece é andar nu pela casa e reparar que a janela está aberta, mas até agora isso nunca originou nenhuma história fascinante. A menos que a velha do prédio da frente me tenha gravado com a ajuda de uns binóculos e criado 1 colecção de preciosos dvd's em sua casa. Nesse caso, eu ficaria deveras grato por estar ajudando alguém de forma tão involuntária. A solidão na 3ª idade pode ser uma merda - sim, há quem sofra de tristes maleitas intestinais. O que é perturbante e delirantemente nojento: a minha mãe, auxiliadora num lar de 3ª idade, disse-me, há tempos, que havia um certo e determinado idoso que demorava horas na casa-de-banho; mais tarde veio-se a descobrir que, devido ao Alzheimer, se fechava a sete chaves comendo o seu próprio excremento, esquecendo-se de que já tinha almoçado. Isto faz-nos crer, isto faz-nos crer, que a MTV não é necessariamente a pior coisa que existe neste mundo - é certo que nos pode afogar em horas entediantes de programas desprovidos de qualquer insensibilidade cultural, mas valha-nos deus sofrer de Alzheimer! Será sequer que eles se recordam da doença de que padecem? Hum... é 1 questão a ponderar. Como aquela do canídeo - como se sente um cão abaixo de cão? Não sei... Possivelmente sodomizado.