24/09/11

O Alfaiate que Teve a Vida por um Fio

Porque é que somente uma das minhas pernas demonstrou cansaço se percorreram ambas o mesmo espaço? Um homem passou por mim no Metro e apalpou-me a mão. Que espécie de pessoa apalpa mãos? Há pessoas que batem a bota com ténis calçados, eu acho isso uma clara desconsideração pela vida. Só por castigo deviam falecer duas vezes. Pessoas com o rei na barriga... eu acho mal andar por aí a comer membros da monarquia, mas também há jovens que snifam cinzas d'avó ou noz moscada ou bocados de borracha. Acho mal uma pessoa passar a vida a meter papéis para viver, e quando a mãe pare a criança mete papéis também, mas na altura da morte ninguém mete papeis. Porque se eu tivesse de meter papeis prá morte esquecia-me deles em casa e vivia para sempre. Há sempre tempo para se perder tempo a pensar nestas coisas... Esta semana foi uma merda, deixou-me descontente e não encontro razão para tal. Sinto-me estranho. Por andas, Vanessa? Na espera de fazer sentido das esperas desta vida, perdem-se outras esperas de sentido de outras esperas desta vida. Apalpador de mãos do caralho. E se eu fosse germofóbico? Apetece-me não me apetecer. Não o conheci, mas sei, ia a passar a passadeira e foi atropelado por um autocarro. Se o respeito mata, se a consideração mata, se a protecção mata. Cada morte, cada traição, partir aqui, com a ciência toda do passado, partir, aqui, para ficar! ♫