09/10/11

Cyperus Papyrus


Aspira dor.
Abraça-me como se as nuvens nos tapassem e fôssemos a neblina de uma tempestade.
Trovoa-me abraços com sabor a arco-íris.

Aspira-me.
Que nos eclipsemos em fotos saturadas pelo tempo.
Que segundos nos segurem serenamente.

Aspirina.
Drogar-te beijos em maços de infinitos. Morrer-te em meu cadáver decomposto.

Aspiral.
Ser árvore a chorar Outono. Crescer folha frágil em ramo grosso.