24/11/12

Cadáveres relativamente mortos

Um tio que abusa de anões ao meio-dia é excessivo. Serem eles metade é uma coisa, serem abusados com o abuso da carga horária é outra. Uma vez tive uma colega anã que se impôs a uma gigante lá da escola, e a verdade é que essa anã gritava com mais fervor que a gigante. As anãs têm tendência a aparentar possuírem coisas grandes, salientam-se. Essa anã agora tem um filho que não sei se é anão ou não, porque nunca o vi, mas como nunca o vi deve ser anão ou então eu teria visto bem. Os anões escondem-se, só vi 2 ou 3 na vida e já fui algumas vezes ao Portugal dos Pequeninos. Pensei que poderia encontrar lá um ou outro a drogar-se e tal, a fumar meia ganza, porque eles também têm direito a ser idiotas, mas não. Talvez estivessem meio indispostos a aparecer. Anões, esses enfermos doentes do chulé chauvinista da Patagónia.