23/06/14

O abate da floresta de corações.

Roubava o nariz da avó, repuxando-o com o dedo indicador e o polegar entrecruzados no seu punho fechado, e dizia vovó, roubei seu nariz!. E todo ele, com 5 anos de alegrias inflacionadas ao sabor de caramelos, transpirava de felicidade ao sugerir ter roubado o nariz da velha. Perto, ao vislumbrar as graças do miúdo, o pedófilo tirava macacos do nariz. O amor é muito isto, roubamos segundos aos amados como narizes a idosas, e nem nos apercebemos que à nossa volta pode estar um vagabundo que no nos vai estuprar na noite fria.

O amor é a chama do pirômano mais virtuoso!