27/11/11

Estupidez Aleatória

Análise da leitura de uma obra Filosófica sob o Efeito de Álcool

A verdade é uma mentira mascarada de verosimilhança. A tua verdade só é verdade quando os factos que a interligam à tua realidade partilhada tecem um elo. Esse elo encontra-se dependente de acções a que não tens controlo, como o movimento da Terra e as ignorâncias do Homem. Quando especificas as tuas certezas, estás a banalizar 99% de possibilidades que o mundo te concede. A fuga a este inevitável é tão mais dolorosa quanto a presença de deus e da morte nos ateus e nos pacifistas. A inércia, contudo, é a pior virtude de um homem calmo: o teu acto pode ter influência em infinitos actos possíveis - o problema encontra-se na existência de malfeitores que reduzem esta sucessão a egocentrismo ou mesquinhez. Isto não te impede de comparecer neste tão amplo mundo de inevitabilidades: a única dúvida a reter é se será possível viver sem dúvidas. Pinta-te, surge! - No que me compete, gosto de ver passar miúdas grossas negras. Sinto-me como se estivesse nos subúrbios de Nova York, em Maputo, quem sabe no Barreiro... quando me perguntam o que é cultura eu respondo que é isto.
|Da Filosofia Inútil, João Maurício Brás; Azero, Tu Decides; Otario Tevez|