06/12/11

Cruzes Credo

Digo-vos o que se passa. Estou à espera que a minha mãe me telefone, porque fui a atender e ela desliga. Mesmo ali, naquele milésimo de segundo. Vou a carregar no botão de atender e ela consegue desligar mesmo ali! Nem lhe gastei a porra de um cêntimo. Vim para casa, claro, comer, não há comida. Tenho os meus pais cá por casa, responsabilizam-se em me fazer almoço, chego a casa, onde é que estão os pais? Onde é que estão os alimentos para eu cozinhar? Não há nada. E a minha mãe, que foi às compras, e deixou o papel das compras em casa, não diz nada, nem ai nem ui, nem filho desculpa já venho espera aí. Ah, ligou: diz que está no Modelo e precisa de ajuda a levar os sacos para casa quando chegar à cidade. Bem... vem um gajo cheio fome e ainda, para além de esperar pelo almoço, terá de carregar sacos de azeite e de garrafas de água até ao primeiro andar. Não, não, desculpa, isto não se faz... estamos aonde? Nem uns ovos pá, nem uns filetes de pescada... não há nada, nem petiscos, nem eslovacas com cogumelos... sei lá! Queria ir logo à tarde a uma mesa redonda na FLUL pá, vai lá estar a Hélia Correia e o Manuel Alegre e outros espantalhos, e queria ir ver o filme do Almodôvar, é o que querias é o que é. Hoje não posso pá porque amanhã tenho exame. E amanhã não poderei pá porque estarei fazendo o exame. Se deus me coloca entre a espada e a parede eu vou buscar uma retroescavadora, meto a espada debaixo da retroescavadora, passo com a retroescavadora por cima da espada, passo com a retroescavadora pela parede, resolve-se o problema, fica-se sem parede e sem espada por causa da retroescavadora. E agora? Agora não sei, estou à espera que me toquem à campainha para eu carregar quilos de arroz escadas acima. Vou ter de estudar pá, ter de estudar outra vez pá, e a minha vida está assim. Não sei porque raios te vi ontem e não disse nem metade do que pensei que diria da próxima vez que te visse pá... e não sei porque raio não te esperei lá em cima hoje e não troquei umas palavras. Acho que tenho quase a certeza que sou um idiota. Estão a tocar à campainha. É aquela gente. Tchau. *****